14.1.18

Será que é amor? - capítulo 62

Durante todo o caminho até o hotel, tanto Caroline quanto Vivian permaneceram caladas, mas era nítido o clima desconfortável no qual estavam. Vivian não sabia muito bem o que Caroline havia escutado ou o que ela teria entendido, sem mais delongas vai direto ao ponto.
-Caroline, sobre o que você escutou..
-Não se preocupe Vivian, está tudo bem – Disse séria.
-E... – falou Vivian buscando palavras, mas estava tão perdida, que não sabia se deveria tentar se explicar ou fingir que estava tudo bem.
-Eu não quero que pense alguma besteira ou algo assim, eu gosto de você e da Débora, você faz ela tão feliz, então, por favor, se houver qualquer dúvida a respeito do que escutou...
-Eu já disse que está tudo bem – interrompeu Caroline – Aliás, se tem alguém que me deve explicação nessa história, não é você mas sim a Débora – disse encarando-a.
Vivian apenas concordou, fazendo com que o caminho até o hotel parecesse uma eternidade, nenhuma palavra a mais foi dita.
Ao chegar no hotel, Caroline subiu para buscar suas coisas enquanto Vivian resolvia as pendências financeiras.
-vamos ? -perguntou Carol já com sua mochila nas mãos.
-‎Claro - respondeu vivian sorrindo.
Por mais que Caroline confiasse na responsabilidade de Vivian, tentou convence- lá de passarem a noite lá, visto que estava muito tarde e Vivian aparentava cansaço, entretanto, de nada adiantou...
Durante o caminho de volta para casa, o silêncio estava estarrecedor, por mais que estivesse cansada, Caroline não conseguia parar de pensar, sua cabeça começara a doer.
-Você ligou para ela ? - perguntou Vivian.
-‎Não, só nos falamos mais cedo.
-‎quer ligar ? - falou oferecendo seu celular.
-‎Não, obrigada.
-‎Aconteceu alguma coisa ? - perguntou Vivian receiosa.
-‎Me desculpa, mas eu não quero falar sobre a Débora com você... - Disse tentando sorrir, não quis ser grossa por mais que mesmo assim de nada adiantou.
-‎Tudo bem - concordou.
Débora acordou desorientada, sua cabeça doía, ao se levantar doeu mais ainda, foi para cozinha e tomou um comprimido para aliviar sua dor, estava perdida, logo após olhar o relógio percebeu o quanto havia dormido.
- quatro horas ? meu deus. - Pegou o celular e tinha algumas ligações de Vivian.
‎Retornou suas ligações porém sempre caia na caixa postal. Em seguida Débora não conseguiu mais dormir, estava preocupada, tentou ler mas mal conseguiu se concentrar, ficou ali deitada no sofá relembrando o episódio no qual  atropelou Juliana. lembrou que estava tão enfurecida com o que ela havia feito, questionava como ela teve a coragem de trazer um segredo tão importante a tona.
Assim que o interfone tocou e anunciou a subida de Vivian e Caroline, Débora imediatamente sorriu, ficou extremamente feliz ao saber que as duas estavam sã e salvas, afinal, não tem nada mais agoniante do que ligar para alguém que está na estrada, depois de um longo dia e no fim cair na caixa postal.
Assim que ouviu batidas na porta, Débora acelerou os passos para abri- lá.
-Meu amor - falou Débora feliz, abraçou Carol tão apertado que até ela estranhou.
-‎Estamos bem - Disse Carol beijando-a no rosto enquanto retribuía o abraço.
Débora começara a lacrimejar, mas logo todas entraram no apartamento.
-Vivian - Disse abraçando-a também. Vivian por sua vez ficou sem graça, principalmente depois da encarada de Caroline, optou por recuar do Abraço assim que pôde.
-Então, como foram lá ? - perguntou Débora indo em direção a Caroline, pegou em sua mão, levando-a para o sofá, as duas se sentaram, Vivian logo em seguida acomodou-se também.
Carol e vivian se encararam, não haviam discutido sobre o que Débora deveria saber ou não.
-A Juliana vai ficar bem- começou contando - Eu conversei com ela, e ela vai ficar bem.
-‎vocês conversaram ? - perguntou surpresa.
-‎É. foi um pouco constrangedor mas ocorreu tudo bem- Disse sorrindo. Enquanto Caroline ficava desconfiada o porquê Vivian não estava sendo tão honesta com Débora, visto que ela saiu do quarto chorando.
-‎Ela está com ar de vingança? justiça ? vai me acusar de ...
-‎Não, claro que não Débora, foi um acidente não foi ?
-‎você sabe que ...
-‎Que não- interrompeu Vivian- É isso que você tem que afirmar com todas as letras Débora, tudo isso foi um acidente - disse com firmeza- ela não vai te acusar de nada, nós conversamos, e como não houve nenhuma perda ou fratura grave, não há o que temer.-finalizou em um tom de voz passivo- acho que já vou pois vocês tem muito o que conversar.
-Débora ficou em silêncio, olhou primeiramente para Vivian e depois para Carol, percebeu que o clima estava estranho entre as duas, então apenas assentiu o recado de Vivian, levou-a até a porta e agradeceu por ter sido tão atenciosa e amiga, sua presença fora fundamental.
-‎E então, por que ela disse aquilo ? - perguntou Débora encarando Carol que estava sentada no sofá, aparentemente cansada.
-‎Acho que por muitas coisas não é Débora ? muitas coisas da sua vida que eu não sei e que agora estou aqui pronta para que você me conte.
-‎Caroline, você sabe que eu não te contei porque não foi o momento não sabe ? jamais quis esconder algo de você.
-‎Até mesmo o que rolou entre você e a Vivian ? - perguntou séria.
Débora ficou um tanto quanto estarrecida, , não esperava que essa seria a dúvida de Carol.
-Não entendi. Foi ela quem te disse isso ?
-‎Faz alguma diferença ?
-‎Claro que faz. Foi ela ?
-‎Não Débora. ninguém me contou.
-‎então como sabe ?
-‎ como eu sei ? eu não sou burra Débora - Disse irritada.
-‎Desculpe, eu sei , claro que você não é, mas não precisa ficar assim.- falou passivamente.
-‎Eu estou totalmente calma,  só preciso que me explique o que aconteceu entre vocês, entre a Juliana,  a Vivian e você, só isso. - falou um pouco sobressaltada.
Débora sentou-se ao seu lado, buscava encontrar o olhar de Caroline, que se desviava constantemente, ela entrelaçou suas mãos entre os dedos da menina que tentara se esquivar mas devido a insistência de Débora, a tentativa de se esquivar falhou.
-Eu não quero que fique com raiva ou chateada - falava calma e paciente - Ou triste, magoada - falava pausadamente, enquanto se aproximava de Carol.
-Débora, eu sei, eu só estou chateada com você, por não ter me falado absolutamente nada do que aconteceu entre você e a Vivian, eu sinceramente imaginei que vocês fossem apenas amigas.
-Mas nós somos
-Agora não é?! Porque já foram mais que isso, e você deveria ter me contado, nem precisaria ter entrado em detalhes, mas pelo menos...
-Eu sei, eu sei, me desculpa meu amor - falava com uma voz extremamente delicada, aos poucos Débora fora se aproximando ainda mais de Carol, entrelaçou seus braços nos dela, que não conseguiu resistir por muito tempo aos encantos daquela mulher. Débora era uma pessoa extremamente persuasiva, era irresistível e sabia exatamente como baixar a guarda de Carol.
-Nem vem, eu ainda estou muito brava com você - disse já descontraída, enquanto Débora a beijava na nuca, colocou uma de suas pernas sobre as pernas de Caroline, continuava beijando-a cada vez mais intensivamente, suas mãos percorriam sua nuca, em frações de segundos, Débora sentou-se sobre o colo de Caroline, prendeu suas pernas envolta do seu tronco, e começara a se despir.
-Eu achei que iriamos conversar - disse Caroline um tanto quanto sem ar.
Débora apenas a encarou fixamente, tirou sua própria blusa e jogou-a no chão. Carol apenas a observava.
-Quer mesmo conversar? - perguntou ao pé do ouvido de Caroline, em seguida deu uma leve mordiscada, desceu percorrendo seu pescoço enquanto chupava-o. Caroline dava leves gemidos, fazendo Débora ficar ainda mais excitada.
-Calma, você está indo muito... - dizia meio sem fôlego. Débora a beijava com voracidade e arranhava de leve sua pele. Caroline começara a ficar tão excitada, que não teve porquê recuar, segurou Débora pela cintura e a trouxe para perto de si, as duas se beijavam tão intensamente que Débora sentia sua calcinha ficar completamente molhada depois da pegada de Carol, que começara a apalpa-lá, passeava suas mãos da cintura até as coxas, Débora se arrepiava ao ser tocada por Caroline, que se excitava ainda mais vendo-a daquela maneira. Carol então, pegou-a com mais firmeza ainda, a trouxe  para mais perto, em instante estava com a boca em seus seios, Débora segurava seu cabelo, prendia-o em forma de rabo de cavalo, enquanto forçava o rosto de Carol ainda mais contra si, Caroline por sua vez, chupava-os com mais voracidade do que Débora a beijava, mordia o bico e os puxava para trás, cada mordiscada era acompanhada por um gemido de Débora, que começara a gritar cada vez mais alto. Carol chupava os seios de Débora ao mesmo tempo em que arranhava suas costas, de cima a baixo, deixando-as completamente vermelhas e marcadas.
Débora começou a rebolar no colo de Caroline, que segurava com firmeza, enquanto ela rebolava , Caroline chupava-a veementemente seus seios e dava leves tapas em sua bunda, tocava cada centímetro do corpo de Débora com delicadeza , passava suas unhas da cintura as coxas, Débora sentia cada vez mais tesão.
Débora levantou-se do colo de Carol, tirou sua roupa completamente, Caroline apenas a observava, e pensava o quanto Débora era uma delícia, admira-lá já era uma privilégio. Assim que retirou toda a roupa, Débora sentou ao lado de Carol no sofá, abriu as pernas e se contorcia ali mesmo, enquanto acariciava o próprio clitóris.
-Vem...vem me fazer sua - dizia com o tom de voz que deixava Carol completamente sedenta.
Caroline não pensou duas vezes, estava morrendo de saudades de proporcionar prazer a Débora, e não só a ela mas a si também, afinal , vê-lá naquela posição, chamando por ela e gemendo a cada toque, deixava-a completamente molhada e louca de tesão.
Carol começou passando a língua de leve na buceta de Débora, que estava encharcada, começou a chupar com uma velocidade cada vez maior, enquanto Débora se contorcia ainda mais, cada toque a fazia delirar, fechava os olhos e apenas conseguir sentir o prazer tomar conta de seu corpo.
-Vai.... isso - dizia ente gemidos e leves gritos.
Caroline continuava lambendo sua buceta, em movimentos  de inda e vinda, sempre parava para chupar o clitóris e dar uma leve puxada, suas mãos acariciavam o seio de Débora, que estava completamente excitada, não parava de se contorcer, Carol a chupava enquanto dava tapas e puxava o bico completamente duros.
-Issooo....- falava entre gemidos -vai delícia - dizia aos gritos.
Ao sentir a língua de Carol a penetrando - Débora mordeu a almofada, seu grito fora abafado mas o suficiente para deixar Caroline ainda mais excitava, não bastasse a língua, rapidamente introduziu os dedos também, chupava o clitóris de Débora enquanto a penetrava, o mais profundo e rápido que podia, Débora começou a rebolar , era tão deliciosa a cena, que Caroline começou a se tocar, enquanto continuava penetrando Débora, que não parava de olha-la, a troca de olhares entre as duas deixava aquilo tudo tão inexplicável, era não só excitante mas também apaixonante. Débora estava prestes a gozar, gemia e apertava a almofada com força, tentava segurar os gritos e gemer o mais baixo que podia.
Ao ouvir batidas na porta, Débora imediatamente se pronunciou.
-Continua...continua - dizia sem fôlegos  -  amor.....isso... me faz ... ahhh - falava entre suspiros.
Débora se esmoreceu completamente, Carol por sua vez continuou chupando-a, fez questão de deixa-la totalmente seca, entre uma batida na porta e outra, as duas se beijaram, Caroline deitou sobre o corpo de Débora, acariciava com beijos e toques suaves.
-Quem será? - perguntou baixinho em seu ouvido enquanto beijava-a no rosto.
-Não faço ideia, atende pra mim?
-Claro- respondeu Carol se levantando. -Vai mesmo ficar ai? não sei você mas eu não quero que os outros te vejam nua, só eu posso - brincou, dando uma piscadela e um sorriso bem safado.
Débora soltou uma leve gargalhada, se levantou, pegou suas roupas e foi em direção ao quarto, não antes de dar mais beijos em Caroline, que se assustou com a última batida, completamente forte e desesperada na porta.
-Já vai - gritou enquanto arrumava suas próprias vestimentas.
Ao abrir a porta e ver de quem era aquelas batidas fortes e desesperadoras, ficou tão surpresa quanto a visita.



Deixe seu comentário aqui, dá um feedback para a bler? juro que postarei com frequência #BeijosdaBler

Capítulo anterior                                     Capítulo seguinte

7 comentários:

  1. Só falta ser a Juliana. Sempre ela atrapalhando

    ResponderExcluir
  2. Já quero mais capítulos, please!!!

    ResponderExcluir
  3. Bleer.. Mais capítulos, please!

    ResponderExcluir
  4. Bleer.. Mais capítulos, please!

    ResponderExcluir
  5. Bleer.. Mais capítulos, please!

    ResponderExcluir
  6. Mano, cadê os outros capítulo? Conto maravilhoso, poderia ter capítulos mais frequência!

    ResponderExcluir
  7. Quando terá o próximo capítulo, apaixonada estou

    ResponderExcluir