8.5.16

Será que é amor? - capítulo 20


-Bom dia minha princesa!  - falou Débora com uma bandeja na mão a caminho da cama onde Caroline estava.
- Não acredito - falou Carol surpreendida.
- Então pode tratar de acreditar- disse Débora sorrindo.
Era nítido a felicidade das duas, Débora havia preparado um café da manhã incrível.
-nem sei por onde começar..
-Que tal começar me beijando?
-seria uma boa ideia se eu já estivesse escovado os dentes .
Débora riu e concluiu.
-Sugiro escova-los desde já, pois hoje vou te encher de beijos, quando você achar que terminou, eu beijo mais.
-sabe que eu não vou achar ruim nem um pouquinho ?
-não ?
-não mesmo.
-então acho que mordidas cairão bem.
-talvez - finalizou Carol indo para o banheiro.
-lembrei que não trouxe minha escova - deu um sorrisinho tímido.
-Em baixo da pia tem escova e calcinhas .
-calcinhas?
-sim
-porque calcinhas?
-porque sim, não quer?
-não é calcinha das suas piranhetes não né?
Débora riu,
- Na verdade compro para elas usarem.
Caroline franziu as sobrancelhas e respirou fundo.
- Que você comprava, no caso, do verbo não irá comprar mais.
- sim, que eu comprava..
Carol voltou ao banheiro e Débora continuou sentada na cama, se esparramando sentindo o cheiro de Carol entre seus lençóis, relembrando os melhores momentos das duas até seu telefone interromper suas lembranças.
Ao ver quem era, Débora desligou o celular, não queria que nada atrapalhasse e depois Juliana não se cansava mesmo,.pensou e tomou a decisão que teria que trocar de número de celular.
-Terminei!  - disse Caroline pulando na cama.
-já posso receber meus beijos?
-não só pode como deve e vai...
Caroline beijou Débora a deitando para trás.. ficando sobre ela, e a enchendo de beijos.
- você é maravilhosa - elogia Débora.
- na cama?
- em tudo!
Caroline a beija intensamente, suas línguas se encontram e seus lábios passeiam um pelo outro, mordidas trocadas , beijos como esses não eram apenas beijos, eram mais, sempre mais.
- o que vamos fazer hoje?
- bom, você eu não sei,mas vou tirar minha roupa pra você.
- ai é assim? Pode começar?  Cadê a música?
- sua boba, estou falando das fotos.
- ah não, e eu pensando em ganhar um strep tease ...
- quem sabe depois -disse Carol dando um selinho em Débora.
- e então vamos começar agora?
- Quanta animação.
- essa noite me inspirou!
- ah é?  OK, vamos aproveitar essa inspiração toda. Rumo ao trabalho!
 Vem que vou te maquiar...
- está terminando?
- quase..
- e agora?
- e agora que só se passou um minuto.
- e agora?
- Se me perguntar novamente eu juro que te encho de mordida.
- hun, vai doer ?
- você nem faz ideia.
- e agora?
Débora apenas deu aquele olhar que era uma mistura de provocação com irritação, que para Caroline suava extremamente excitante, um olhar que ela adorava olhar.
- terminei.
- finalmente!
- Que chata, nem demorei tanto assim.
- não?  Como não?  Demorou séculos e séculos.
- Que exagerada- falou Débora envolvendo seus braços sobre o ombro de Carol, a roubando um beijo singelo e rápido para não borrar o batom.
- e o que eu irei vestir?
- as fotos são nuas..  não se lembra?
- eu sei - disse Carol sorrindo sem graça.
- Não precisa ter vergonha, já vi tudo o que está ai em baixo dessa roupinha.
- ah que engraçadinha você.
- estou brincando meu amor- falou Débora abraçando carinhosamente Caroline.
- olha, você pode começar com lingerie, não precisa timidez aliás nem tem motivo não é?
- não é porque eu fui pra cama com você significa que eu não tenha vergonha, é diferente...
- sem problemas, você tem que estar a vontade,  vamos começar assim como eu disse, e depois se quiser tiramos.
- tiramos?
- sim, eu tiro a sua roupa e você a minha e vamos para a cama de novo - falou Débora em seguida dando uma risada que viera acompanhada de Caroline.
Carol foi ao quarto,  vestindo a lingerie que havia levado.
- Estou pronta.
Débora não conseguiu falar nem mesmo uma palavra, sua admiração era tão grande que dispensava qualquer elogio que poderia pensar a fazer a Caroline.
- Não vai falar nada?
- Admirável, Espetacular, Estupendo, excepcional,  maravilhosa... - falava Débora pausadamente, sem tirar os olhos de Carol que no momento estava ficando envergonhada e consequentemente suas bochechas começaram a avermelhar-se, coisa que Débora adorava ver, ela ficava tão linda !
- você fica linda assim, sabia?
- assim como?
- toda envergonhada, dá uma pitada de inocência, coisa que sabemos que você não tem.
- Caroline soltou um sorriso contagiante fazendo Débora rir junto com ela e não pôde conter sua vontade de beija-lá.
- você é melhor coisa que me aconteceu nesses últimos tempos. - sussurrou Débora ao ouvido de Carol que a respondeu no mesmo tom e no mesmo movimento.
- Acho que uma apareceu na vida da outra no momento certo, é Destino,  acredita em destinos?
Débora retirou sua cabeça do ombro de Caroline, e a olhou nos olhos, com as mãos em sua cintura se aproximou do seu rosto,  a respondendo bem perto.
- Destino?  Não sei, só sei que o que está acontecendo aqui deveria ter acontecido, se não, nunca me sentiria assim.
- e como está se sentindo?
- completamente feliz - sorriu Débora enquanto suas bocas se tocavam lentamente, suas mãos percorriam o  corpo uma da outra, sentindo a pele, macia e delicada, sentiram o aroma uma da outra de maneira singela e carinhosa.
- não vamos tirar as  fotos?!...- perguntou Carol suspirando entre os beijos e afagos que já estavam a deixando-a sem ar.
- prefere tirar as fotos mesmo?  - perguntou Débora enquanto mordiscava a orelha de Carol que já estava se contorcendo de tesão, Débora adorava fazer isso com a garota.
- não, sabe que não.
- quer o que então?
- jura que não sabe? -falou Caroline puxando Débora para si , dando um longo beijo voraz,  intenso.. devorador,  Débora se recusou a ser a passiva da vez, logo a pega firme levando para o sofá sem deixar de beija- lá em nenhum momento, seus corpos já estavam mais quentes do que qualquer coisa que poderíamos imaginar.
- você não cansa né ?
- nunca ! ainda não aprendeu ?
Enquanto Débora a beijava suas mãos percorriam as coxas e pernas de Débora que ficava cada vez mais excitada com aqueles toques vindos daquela mulher.

Toc Toc Toc

As batidas na porta a despertaram, deixando as duas paradas.
- está esperando alguém?
- não, que estranhos, escutou o interfone?
- não mesmo, seus gemidos tiraram minha atenção...
- que boba, - deu um beijo no nariz de Carol..
- onde pensa que vai?
- Atender a porta ué

 Toc Toc Toc

- deve ser o porteiro ou algo do gênero, não sai daí ainda quero fazer muitas coisas com você.
 - Delícia!
Débora colocou uma camisa e abriu a porta esperando ser o porteiro mas para a sua surpresa,  não era.
- o que faz aqui?  Perguntou surpresa.


        Capítulo anterior <<<                 Capítulo seguinte >>>

3 comentários:

  1. Super ansiosa para o próximo capítulo, espero q ñ demore tanto como esse demorou ;)

    ResponderExcluir
  2. Super ansiosa para o próximo capítulo, espero q ñ demore tanto como esse demorou ;)

    ResponderExcluir
  3. Poxa! Já faz um mês q ñ posta nenhum capítulo novo, posta logo o capítulo 21 por favor!

    ResponderExcluir