6.4.16

Será que é amor? - capítulo 18


Caroline e Débora continuaram se beijando como se não houvesse amanhã, As vezes beijos quentes, e calorosos outros, carinhosos, cheios de delicadezas.
- Eu quero você... -Disse Débora beijando seus lábios e descendo pelo seu pescoço.
- vamos com calma...por favor - pediu Carol com a voz mais doce que alguém poderia falar.
- Por você, eu espero quanto tempo precisar.- Disse dando um selinho carinhoso.
-Sabe, você ficou me devendo a continuação do ensaio fotográfico, mal começamos e aconteceu aquilo tudo.
-verdade, não quero nem lembrar, mas ainda há Tempo, vamos combinar para sábado, que tal?
-Sábado? Acho ótimo, vou tirar o meu dia apenas para isso.
-combinado?
-combinado- respondeu Débora dando outro selinho em Caroline.
-Já está ficando tarde, quer que eu te leve?
-Não precisa..
-claro que precisa,olha a hora, é  muito perigo.
-é, realmente...mas não quero te atrapalhar.
-você não me atrapalha,  sabe disso.
-sei? Acho que não hen.
-então vem cá- Disse Débora puxando Carol pela cintura, tentando beija-la enquanto ela se esquivava para trás.
-sabe que eu adoro quando você fica difícil assim...
-é?
-Urrum- disse Débora trazendo Caroline para si, sem titubear roubou beijos e mais beijos, que a fazia sentir o que há muito tempo não sentia.
-vamos? - Perguntou Carol entre beijos e mordidas.
-poxa, estava tão bom.
-Urrum-suspirou Carol que logo se desviou de Débora.
-vamos vai... se continuar assim não iremos mesmo - sorriu Caroline; aquele sorriso lindo que só  ela sabia dar.
-OK, você venceu - falou Débora tristonha com a derrota de não ter conseguido ter roubado mais beijos da sua menina.
Ao chegar na casa de Caroline, Débora não sabe como se portar, apenas observou aquela doce pessoa, que a fazia sentir tantas coisas.
-Que bom que nós acertamos, não aguentava mais ficar longe de você...
-e eu de você...
Disse Caroline aproximando-se, apenas olhando em seus olhos e a  milímetros de seus lábios,  sentia que eles se  pediam, as duas queriam o mesmo.
-Eu queria gritar para o mundo o que sinto por você - disse Caroline.
-grita pra mim, no meu ouvido...-respondeu Débora
-no seu ouvido eu não vou querer apenas gritar, mas também gemer, gemer muito.
Débora sentiu seu corpo se aquecer com as palavras ditas por Carol,sua mente se acendeu, arrepios surgiram em seu corpo, o desejo a consumiu totalmente, Caroline falando daquela maneira, ao mesmo tempo sútil, provocante e instigante de se escutar, isso enlouquecia qualquer um, principalmente, aliás, fatalmente Débora, que se não teve uma parada cardíaca é  porque ainda estava preparando sua cartada final.
Débora segurou Caroline pela cintura,sua mão adentrou entre seus cabelos, dando uma leve puxada para trás enquanto sua boca se aproximou do seu queixo dando um leve beijo, descendo pelo pescoço, seus lábios molharam sua pele, até chegar ao colo, deixando uma bela chupada, subindo pela orelha dando um mordida que a fez gemer mais alto do que deveria.
-Aiii.......  - disse Carol entre suspiros..
-doeu, sabia?
-não gostou?  Perguntou Débora apreensiva.
Caroline se aproxima de Débora, alias..aproximou-se de sua boca, deu uma mordida em seu lábio inferior, e uma leve puxadinha.
-Doeu?
-para eu sentir dor, teremos que fazer bem mais do que isso garota.
Caroline sorriu maliciosamente, Débora pôde sentir isso em seu ar provocador que tanto lhe caia bem.
-Adorei a noite, até amanhã?
-sim, claro.., boa noite.-sorriu Débora, vendo sua tentação indo embora, Carol adorava provocar mas nunca terminava.
-ah, isso é  o que vamos ver dona Caroline!
Se despediram em um ar formal apenas lançando trocas de olhares, que  dispensava qualquer tipo de palavra.
Caroline acordou totalmente desesperada, estava atrasada, se levantou vestindo a roupa enquanto escovava os dentes e calçava o sapato, não sabia se daria tempo para chegar a escola hoje..
-PROVA! -lembrou ela, já saindo entre tropeços .
Bi bi bi ..Carol escutou uma buzina, fazendo-a se virar para ver quem era.
-Quer uma carona?
Caroline ficou hipnotizada ao ver Débora, ali.. maravilhosa.
- Que cara é essa?  Parece que nunca me viu..
- uau!
- hum, acho que nunca recebi um uau.
- e eu nunca te vi assim, não acredito que vai dar aula assim.
Débora soltou um riso gostoso.
-claro que não, vim te sequestrar.
-me sequestrar ? Você tá bem?
-ainda não viu nada. - falou abrindo a porta do carro.
-Débora, eu tenho prova ...-falou Caroline
-claro que tem, provar minha boca.
Carol apenas retribuiu os sorrisos e olhares, e que se dane a prova !
 Débora estava decidida a levar sua linda menina a ter um dia como nunca teve antes e no qual jamais se esqueceria.
Depois de uma hora e meia em direção ao lugar misterioso, finalmente elas chegaram, um lugar lindo, ao chegar no local, se vê uma enorme piscina, uma casa de dois andares, com decoração digna ao tamanho do imóvel, Carol nunca tinha visto algo assim, pelo menos não pessoalmente, ficou boquiaberta.
-Gostou?  - perguntou Débora que vendava seus olhos.
-o que está fazendo?
-Te sequestrando ..já se esqueceu..?! - falava Débora sussurrando no ouvido de Carol, não deixando de  beija-lá nem por um minuto,  adorava sentir o cheiro daquela pele que tirava seus sonos á tempos, ela abraçou Carol por trás, suas costas sarravam em seu seios, provocando-a propositalmente, e "uma deliciosa provocação", pensava Débora, que fazia questão de aperta-los contra Caroline. percorreu seu pescoço, beijava ,chupava , deixando - a arrepiada a cada toque, suas mãos percorreriam os braços da menina, desciam até encontrar suas mãos,em segundos, Débora puxou seus braços para trás, juntando suas mãos e colocando algemas.
-não acredito- riu Caroline.
-vem...
Falou Débora puxando Caroline para dentro da casa, entre beijos, abraços e mordidas que esquentavam cada vez mais.
-Senta aqui...
-aqui onde?  Se não se lembra estou sem ver nada .
-ah é,  tinha me esquecido...-riu ela, colocando Caroline sentada na cadeira.
-Adoro essa música.
-é?  - perguntou Débora insinuando-se
-aai - suspirou Carol ao sentir que Débora havia sentado em seu colo, e pôde sentir sua pele... sua coxa ...ela a sua frente dançava no ritmo da música . Caroline sentiu sua calcinha sarrar em sua perna, um rebolado que arrepiava até a alma, seus seios encostavam em seu rosto, aquela mulher era um pecado, sabia provocar e atiçar como ninguém.
- Não vai falar nada é?
- falar o que?  Se até as palavras você me tira.
Débora sentou sobre o colo de Caroline que ainda se recuperava da sensação deliciosa que estava sentindo, e a beijou mordendo seus lábios inferiores e os puxando para trás, deixando-os completamente vermelhos, seu beijo era calmo e carinhoso, ela desvendava Carol, Se olhavam, sem muitas trocas de palavras, Débora a levou ao quarto, ao entrarem ..Caroline se encanta ao ver Pétalas espalhada pela cama, formando uma frase que a fez sentir tudo o que não poderia descrever, música ao fundo, luzes fracas deixando o ambiente agradável e digno de uma incrível noite, Débora envolveu Carol em seus braços, em seu ouvido lê o que estava escrito na cama.
-"Estou apaixonada por você " -seus beijos descem pelo pescoço de Carol que já se derretia completamente.
- De onde vem esse calor... Do seu corpo, do meu? Não sabemos mais....- sussurra Débora ao pé do ouvido de Caroline, seus braços envolvem teu corpo, retirando a camiseta de uniforme amarrotada, sentindo sua pele ardendo de prazer, clamando pelos beijos molhados. Os gemidos baixos ecoavam pelo comodo em silêncio, deixando suas mãos  arranharem  a pele quente de Carol, que já pedia os toques, as mãos de Débora em seu corpo, que ao se verem  ardem e olhos queimarem de desejos,  Débora puxa Caroline rente ao seu corpo, beijando-a  com desejo, trazendo-a  para cima de si enquanto deitava a na cama, completamente entregue. Seus olhos  pediam quase implorando para que Débora  tomasse seu sexo. seu corpo se contorcia de prazer, o mundo em volta havia  sumido, e só seus corpos estavam ali , sua  cama... suas almas, suas paixões , seus desejos, línguas que percorriam corpos tomados por desejos e amor, Débora atende os pedidos silencioso, sua língua  foi capaz de leva-la à  outro mundo,corpos se arrepiavam, tremiam de prazer. Um gemido mais alto de prazer invadiu o ar, deixando Carol cansada e trêmula, o  coração acelerado, boca seca e respiração profunda, jamais havia sentido sensações como essas.Seu olhar brilhando encontrou o de Débora, antes que seus lábios  a tomassem, fazendo com que ela provasse também do seu gosto, Caroline  deita  seu corpo sob o dela sentindo sua pele, sentia seus seios, com os bicos enrijecidos  , beijando-o por inteiro, arrancando gemidos leves,  passivos, ainda tímidos.  Passeava pelo corpo de Débora  conhecendo cada pedaço que almejava tanto satisfazer... Descia  pelo seu pescoço, pelos seus seios, barriga, umbigo..  coxa.... entre passadas de língua, beijos, mordiscadas, chupadas e carícias.
 Carol por mais que não tivesse feito nada assim antes, o que sentia por Débora era mágico incapaz de faze-la temer qualquer coisa, sua boca percorria seu corpo, que gemia ao sentir aquela boca tão próxima , não muito paciência suas mãos firmam na cabeça de Caroline que desce mais perto de seu sexo que já estava completamente molhado, sua língua molhada  brincava naquela areá doce e molhada,que  arrancava gemidos cada vez mais altos de Débora, que ficava ainda mais deliciosa ... Carol ria maliciosamente, lhe tomando o sexo molhado com desejo, apertando sua coxa, ouvindo cada melodia de seus gemidos...aquilo era  música para ela ! Agora é seu corpo que treme, estremece, seu coração que acelera, sua boca que fica seca, e é seu gosto doce que invade a  boca de Carol, molhando seus lábios,sentindo tal gosto adocicado em seus lábios que jamais haveria de esquecer . Ria mais uma vez, passando sua língua pela ultima vez ali, antes de lhe tomar os lábios a fazendo sentir seu próprio gosto.
- Eu sou apaixonada por você - falou Débora totalmente sem ar.
- eu também sou apaixonada por você - retribuiu Caroline beijando seus lábios e abraçando a na cama,  ficaram ali namorando sem se distanciarem, o que havia acontecido ali, com certeza foi  recíproco e único.

        Capítulo anterior <<<              Capítulo seguinte >>>


11 comentários:

  1. Cada vez mais lindo....amo esse conto ♡♡♡

    ResponderExcluir
  2. Cada vez mais lindo....amo esse conto ♡♡♡

    ResponderExcluir
  3. Que perfeito, delirante 😻💗... sem palavras, nunca tinha lido um romance desses, perfeito conto 💗😻... quero mais.....

    ResponderExcluir
  4. Anônimo7/4/16 18:17

    Ai meu Deus, acho que vou ter um ataque..kk
    Finalmente... Aeee. Parabens pelo capitulo de hoje. Bjao

    ResponderExcluir
  5. Eu queroooooo mais meu Jesus...

    ResponderExcluir
  6. Eu queroooooo mais meu Jesus...

    ResponderExcluir
  7. tas demorando mt pra posta affff n

    ResponderExcluir
  8. Na minha opiniao esse é o melhor conto dos quais voce escrevi. O unico problema é que esse conto foi o primeiro que voce escreveu e o unico que nao é finalizado. Deveria haver mas respeito por aqueles que acompanham suas historias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. com certeza. concordo em numero genero e grau. É mesmo o melhor conto. melhor q "preto e branco", que é postado com certa regularidade.
      minha sugestão é: ou poste oq falta, caso ja tenha o conto, o termina logo.
      beijos de luz

      Excluir
    2. Posta o capítulo 19... Faz mais de duas semanas q vc não posta este conto... Os outros vc posta regularmente, ate o conto Devaneios de Sophia que tu posta no face esta sendo mais rápido q esse... Esse conto eh maravilhoso e eh ruim esperar tanto tempo pra lê-lo.... BLER faz uma forcinha ai pra gente, sei q todos estão super ansiosos pra ler mais e mais do conto..

      Excluir
  9. Continua o conto, por favor... É uma história muito linda, complexa e eu estou encantada com as personagens.

    ResponderExcluir