26.3.16

Será que é amor? Capítulo 16


- você não vai me perder, porque só perdemos o que é  nosso, e eu nunca fui sua!
Caroline deu as costas para Débora, que não teve muito o que dizer, apenas observou Carol saindo pela porta acompanhada daquela menina irritante.
Débora sentiu uma enorme dor no peito, levantou seu rosto, não queria que lágrimas caíssem, não queria chorar, não ia chorar, não mesmo!
Depois de se recompor, Débora arrumou seus materiais e desceu. Se tinha uma coisa que ela odiava era ser ignorada, principalmente por Caroline.
Em plena terça de manhã, Débora chegou com uma surpresa nada agradável para os alunos, que estavam bem alegre por sinal.
-Pra sala! - fala em tom de voz alto.
-não sei o que vocês perderam tanto que não saem daqui de fora, a sala é  lá dentro sabiam?!
- uai, professora ninguém mandou se atrasar- disse um dos alunos
- assinar o caderninho fessora - disse outro, tirando onda.
- sentem-se logo!
- guardem os materiais!
- oi? Como assim?
- prova professora?
- mas a senhora não pod..
- sim , é prova, e nada de reclamações, quem quiser faça quem não quiser deixe em branco - disse enquanto já distribuía as folhas de mesa em mesa, notou que a mesa de Caroline estava vazia, mas mesmo assim deixou a prova em todas as carteiras para que não houvesse reclamações caso alguém chegasse atrasado.
- Podem começar, a prova valerá dez pontos, boa prova!
- licença professora - Disse Denise enquanto era acompanhada de Caroline, adentraram as duas na sala.
Débora respirou fundo e apenas continuou mexendo em seu diário, se tinha alguma coisa que ela não engolia, aliás.. se tinha alguém que ela não engolia era Denise, que agora deu pra não desgrudar de Carol, por mais que Débora não fosse a mulher mais ciumenta que alguém poderia conhecer, ultimamente nem ela se reconhecia, estava sentindo ciúmes de Caroline andando pra cima e pra baixo com essa menina, sua mente imagina mil e uma situações no qual as duas sempre acabariam se beijando e Débora odiava pensar nessa hipótese, por mais que ela tivesse feito algo que jamais poderia e deveria ter sido feito , prometeu a si mesma que não seria mais assim, ela queria Caroline,  e prometeu a si mesma que iria reconquista-la.
-Professora, terminei!
-eu também!
-podem trazer ...
Débora foi recolhendo as provas até que o sinal bateu, sem esquecer das duas que chegaram atrasadas.
-venham assinar por favor.
Débora não disse nada, Caroline ainda sentiu aquilo tudo muito estranho, as duas ali, caladas e sem ter o que dizer uma a outra, como ela se sentia mal ao vivenciar essa situação.
Já no horário do recreio, Caroline e Denise desceram para lanchar, elas tinham muito em comum assim o assunto nunca acabava.
-As vezes fico pensando que deveríamos começar a estudar desde  agora porque veja bem, ano que vem terceirão e depois FACULDADE - disse ela completamente animada.
-acho uma boa ideia- respondeu Carol
-já que moramos perto, podemos estudar aos finais de semana.
-combinado, na minha casa ou na sua?
-na sua, na minha tem meu pai e não seria boa ideia .
-hum, ta bom então, depois vemos o que estudar.
Carol não pôde deixar de notar Débora descendo as escadas e entrando na sala dos professores, por mais magoada que estivesse seu coração disparava ao ver aquela mulher, mas ela não deveria ser render aos seus encantos, sabia que não haveria um futuro, apenas uma diversão e Caroline não estava afim de uma simples diversão.
-vamos?
-an?
-o sino, já tocou! - sorriu Denise ao ver que Carol estava viajando e não prestou atenção no que ela estava dizendo.
-ah sim, desculpa!
-relaxa.
As duas foram para a sala, e as aulas aconteceram normalmente, esses últimos dias estavam sendo bem legais para Caroline e a presença de sua nova amiga seria um bom motivo para justificar esse fato.
- licença - bateu um aluno na porta.
- A professora pediu para entregar -disse ele .
- claro- respondeu a professora pegando as folhas.
- Natália, entrega por favor- Natália era a representante de sala.
- sim senhora.
A representante entregou todas as provas aos alunos, e por último havia um recado em uma folha que dizia...
- sua prova está com a professora e ela quer te entregar pessoalmente devido a sua nota baixa. -disse a representante.
- como assim?
- está escrito aqui, veja você  mesma- disse enquanto entregava a folha a Caroline.
- OK, obrigada!
" inacreditável " Carol sabia que impossível ela ter tirado uma nota ruim já que era boa em matemática, e aquela prova estava mamão com açúcar, sabia oque  Débora queria ,mas era de se assustar, achava que ela não iria ter coragem de misturar seu trabalho com seus desejos pessoais.

     Capítulo anterior <<<              Capítulo seguinte >>>

7 comentários:

  1. Manda o próximo pq a gente esperou tanto p esse achando q elas iam conversa e n tevi nd nd ,queremos ver como vai fica o próximo capítulo, pfv coloca hj n nos faz espera tanto

    ResponderExcluir
  2. Curiosidade mata sabia!!! E vc sera a culpada...kkk
    Escreve logos os capitulos, favor.

    ResponderExcluir
  3. Aff n desisto vou fica aq mas nd esperando o próximo capítulo, demora orrr n, e se for como o último capítulo nem vale a pena espera mt ,ou posta ou vai perde os leitores

    ResponderExcluir
  4. os capitulos podiam ser maiores.... mas ta mto bom... o enredo é cativante. :)

    ResponderExcluir
  5. Esperando ansiosamente pelo próximo capitulo, vc é uma ótima escritora, me faz viajar com seus contos❤

    ResponderExcluir
  6. Realmente nos faz viajar nos contos parece td tao real, mas o simples fato da demora do próximo capítulo perde o encanto, desculpa mas vc demora mt e sinceramente ta perdendo os leitores

    ResponderExcluir
  7. Posta o 17 por favor

    ResponderExcluir