15.3.16

Será que é amor? - Cápitulo 12


Já no próprio apartamento, Débora se jogou no sofá, afundando o rosto nas almofadas.
"porquê?  Porquê?" Sem sair daquela posição, ela reviveu cada situação, desde o beijo de Juliana ao beijo de Carol, que foram completamente diferentes, Débora  não  podia negar que Juliana mexia com ela constantemente, era uma atração fatal, uma completava a outra na cama, não  havia o que reclamar, mas já Caroline, completava ela no dia a dia, pelo menos nesses últimos dias, coisa que Juliana nunca fez, e entre uma coisa e outra, para Débora a vida não era só sexo e algo que ela adoraria ensinar e poderia ensinar, principalmente se esse alguém fosse Caroline. "Carol, Carol, Caroline" suspirava Débora que logo se lembrou da música "CAROLINA " , colocando imediatamente para tocar ao som de seu  Jorge.
-Caroline eu vou amar, eu vou amar você  Carol - disse Débora ao ritmo da música, definitivamente...decidida! .
Em casa, Carol chegou um tanto quanto atordoada, ainda nervosa, mas porque nervosa?!  "Caramba, Não  acredito que ela teve coragem, como sou burra, burra,  burra,  muito burra" pensava enquanto se jogava na cama enfiando o travesseiro na cara. "Aceitar beijá - lá?  Depois dela ter beijado aquela nojenta da Juliana, burra,  burra!! " Carol ficou ali naquele pensamentos de arrependimento por bastante tempo, e concluiu que sentiu ciúmes ao ver Débora sendo beijada por alguém que não fosse ela, principalmente vendo que ela não fez questão alguma de reagir, e ainda por cima depois daquela cena aceitou o beijo de Débora, que foi muito bom, mas não  o suficiente para Carol esquecer o que aconteceu minutos antes. " espera Caroline, que burra, ela não é  nada sua, não te deve satisfação, não  tem motivos para ter ciúmes de alguém que não  tem nada com você, e a Juliana é  ou já foi alguém mais importante que você, acorda Caroline! " finalmente uma conclusão racional, Carol tinha disso, agia pelo calor do momento mas ao esfriar a cabeça era uma pessoa totalmente racional e sabia que não  poderia cobrar nada de Débora, até  porque  não  tinha nada haver mas também decidiu não "flertar " mais com sua PROFESSORA, Carol não tinha intenção  de atrapalhar relacionamentos alheios que no caso era o de Débora  e Juliana. Com lágrimas nos olhos depois de longos pensamentos que vieram a sua mente,ela conclui que...
"Gostar de quem gosta de mim, fim! Não a Débora, não  a romance,  não!  Não!  Amizade é  a única coisa que irei oferecer, A única! "
Em pleno sábado, Débora  acordou bem cedo como um dia qualquer, se espreguiçou, levantou indo em direção a cozinha, foi pegar um copo de água, ao colocar a água, sua mente imediatamente se lembra da noite passada, Carol ali praticamente entregue a ela, tão quente, tão ingênua mas ao mesmo tempo tão tentadora...suspirava Débora só  de voltar no que tinha acontecido, mas o final do dia tinha que ter acabado péssimo daquele jeito?! e nem se quer poderia ligar ou mandar uma mensagem para Caroline, isso consumia Débora,  que ficava agoniada só  de pensar o que estaria se passando na cabeça da sua doce menina." Ir ou não  ir?  Eis a questão " Débora ficou com essa dúvida até  a hora do almoço,  não  pensava em outra coisa, tentava se distrair lendo, outra hora cozinhando e assim foi passando o dia,decidiu não ir, talvez fosse muito precipitado da sua parte. O Telefone tocou e com um número desconhecido, Débora não  costuma atender então logo desliga. Não  contente o celular continua tocando, Débora  ignorou e continuou sua leitura sem dar muita importância até  que tocou o som de mensagem.
"Com certeza não  me atendeu só  porque é  número  desconhecido né?! Queria falar com você, Caroline"
O coração de Débora disparou ao ver de quem era a mensagem e imediatamente retornou a ligação.
-Oi, desculpa não  ter atendido- Disse com o coração na boca.
-sem problemas, eu só  queria te pedir desculpas por ontem.
-desculpas?  Mas desculpas pelo que?
-você sabe, Débora eu não  deveria ter te beijando e...
-e nada, foi eu quem te beijei e posso afirmar que foi a melhor coisa que fiz.
-e eu posso afirmar que foi a pior coisa que fiz!
Débora se surpreende com o que Caroline acaba de falar.
-desculpa Débora mas não devemos continuar com isso, e te liguei para pedir desculpas por isso, mas a única coisa que tenho a dizer é  que não  posso e não  devo oferecer mais do que a minha amizade.
-mas Caroline porque? Estava tão  bem, eu sei que o que aconteceu ontem...  - Carol interrompe Débora.
-não,  não  precisa me explicar nada, enfim.. eu tenho que desligar agora, Boa noite!
Débora ficou totalmente sem reação, não  conseguiu ao menos dar um boa noite, percebeu que Caroline não  esperou por muito tempo a resposta e logo desligou o celular.  Débora sentiu um nó na garganta como não sentia a muito tempo, se deitou na cama e não  saiu dali até  o dia amanhecer.


     Capítulo anterior              Capítulo seguinte 

Um comentário:

  1. Quando saira os proximos capitulos??? Anciosa demais para ler.

    ResponderExcluir