6.3.16

Será que é amor? - Capítulo 10


Meio dia e todos já estavam na porta do ônibus, mas como sempre faltavam alunos,  a contagem não  era a mesma.
-Pessoal vamos esperar um pouco mais - Disse o professor de educação física.
-Carol já estava sentada no mesmo lugar que tinha ido, e Débora  chegou trazendo alunos atrasados, "com o temperamento que tem, deve ter dado uma boa bronca" pensou Caroline.
-Motorista já podemos ir.
-finalmente - disse Carol
- ansiosa moça?
- sabe quando tempo estávamos esperando aqui?
- Eu sei, mas você  sabe como são  esses meninos, não  sabem cumprir horários, esses com certeza não  irão nos próximos passeios.
- melhor!
-Quer escutar música ? -propôs Débora
-claro!
As duas colocaram o fone de ouvido e relaxaram na poltrona, cada uma com a cabeça em meios aos próprios pensamentos, que tinham muito em comum.
Débora  revivia a cena da mesa, o olhar de Caroline, que apesar da meiguice não  escondia o olhar quente que penetrava o seu  tão profundamente quanto sua vontade de te-la em seus braços.
Carol lembrava desde o dia anterior em seu quarto, até  hoje mais cedo, ela sabia que Débora estava interessada, se não,  não  faria aquilo tudo com ela.
Já chegando na escola,  os alunos saíram afoitos do ônibus, Carol e Débora  saíram logo que todos já estavam do lado de fora.
- Fessora pode ir embora? - perguntou uma aluna.
- não,  pode não,  vamos ficar aqui até  amanhã - disse a professora em um tom irônico  e ao mesmo tempo brincalhão.
Como sempre os alunos gozaram da menina depois da resposta da professora mas logo todos se dispersaram e foram embora.
- você  adora dar esse tipo de respostas né?
- o que você  acha?
- eu já não  acho, tenho certeza.
- hum, acha que me conhece senhorita?
- te conhecer ainda não  mas isso eu já sei, vai negar que não  gosta?
- não, não vou negar, assim como não  vou negar que meu sonho é te fotografar.
- com esse papo de novo Débora?
- por favor vai, não  vai ser tão  ruim assim, olha você  não  precisa ficar nua, a gente só  faz um teste,  o que acha?
- hum, não sei.
- ah vai por favor, te compro um sorvete, e de morango. - brincou Débora.
- o que você  não  me pede que eu não  faça  sorrindo né.
Débora sorriu feliz, por ter conseguido uma resposta positiva de Carol.
- Vou pegar o carro, me espera aqui?
- claro!
Carol aguardou Débora na calçada que não  demorou muito, logo as duas partiram para o seu apartamento .
-não gosta muito de elevador não  é?!
-por que a pergunta?
Débora sorriu,
-olha sua cara, está  branca.
-não gosto muito.  Ainda bem que chegamos, muito alto isso aqui.
-Que nada, sétimo  andar somente, um dia te levo no último.
-se não  for de elevador...
-Enfim em casa, temos muito tempo ainda.
-e o que vamos fazer? -perguntou Carol colocando a bolsa no sofá.
-hum, podemos começar com a  maquiagem.
As duas seguiram para o quarto, onde havia uma penteadeira cheia de maquiagens, Débora  tinha esse talento de maquiar tão  bem quanto fotografar, ela começou preparando a pele de Carol, que já estava um tanto quanto tímida.
-Gostou?
-não acredito, sou eu? - falava surpresa com o que via no espelho.
-sim, linda como sempre.
-obrigada - disse Carol enquanto abraçava Débora, apertando-a como se o mundo fosse acabar. E pela primeira vez Débora  retribuiu na mesma intensidade.
-não fiz nada demais..
-sabe que fez.
As duas sorriram por um tempo..
- e então por onde começamos?
- bem, se você  quiser podemos tirar algumas fotos com você  assim como está.
- acho melhor,  não  sei muito bem fotografar.
- é  só  relaxar.
Débora  levou Carol para um cômodo onde servia de cenário. Ajudando Caroline a se posicionar tentando deixa-lá o menos desinibida possível, sorrindo e fazendo brincadeiras
-assim está  bom?
-perfeito, está  linda..- logo Débora  começou fotografar a menina que aos poucos foi se soltando.
-mais para a esquerda.
-assim?
-Isso.
-está ficando ótimo,  você  tem muito talento.
-ainda não  acredito muito.
-como não? Linda desse jeito? impossível alguém  duvidar- disse sorrindo.
-que tal fazermos agora só  de lingerie?
-pode ser- disse Carol envergonhada.
-não precisa ficar com vergonha, é  algo profissional, irá  te render ótimos  frutos.
"Se a fruta fosse você " pensou Carol enquanto apreciava Débora  arrumando a câmera.
- vou pegar um suco pra gente e se quiser já pode ir se preparando.
Caroline resolveu seguir as orientações da "Fotógrafa " ficando penas de calcinha e sutiã,sentou-se na poltrona mas não  ficou por muito tempo, logo se levantou, dando uma olhada pela janela . Débora ao entrar na sala,sua surpresa foi inevitável, ficou parada.. com os olhos brilhando, pupilas dilatadas e seu coração acelerou mais rápido que o normal, Débora   ficou perplexa ao ver Caroline, mesmo que já tenha visto ela nesse trajes,  não  foi a mesma coisa,  vendo ela ali, suas curvas totalmente a mostra, sua vontade e desejo nunca foi tão  grande, Carol se virou e viu Débora, que não  demorou muito  a perceber o que a professora poderia estar pensando.
- eu... eu... eu esqueci o adoçante.. -disse Débora  já retornando para a cozinha, seu corpo estava quente e o coração continuava acelerado. Ela pegou um copo d' água gelado, bebeu toda a água que estava no copo, quando se virou, mal acreditou no que viu.
- está  com calor?
- calor?  Eu?  Não... clar..- Caroline a interrompe, enquanto se aproximava.
- posso sentir sua pele quente... - dizia Carol que já estava colada em Débora.
- menina, não  mexe com a onça....
Caroline sorriu,  sem tirar os olhos dos olhos de Débora.
-por que não  professora? -falou sussurrando no ouvido de Débora enquanto suas mãos percorriam pelos braços.
-Porque não  vamos fazer ...nada...absolutamente...nada- dizia sem fôlego.
-não?
-não!
-então o que vamos fazer?
-vamos.... Eu devoro você  menina.

          Capítulo anterior <<<           Capítulo seguinte >>>

4 comentários:

  1. Anônimo7/3/16 00:28

    Amo seus contos,porem demora demais pra postar!

    ResponderExcluir
  2. Anônimo7/3/16 10:19

    Ai mds continua ta ficando melhor ainda

    ResponderExcluir
  3. Tbm gosto mt dos contos. Poderia postar com mais frequencia.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo7/3/16 15:47

    ela é otima com os contos mesmo. mas me mata com essa espera.

    ResponderExcluir