13.2.16

Será que é amor? Capítulo 5


Caroline acordou muito feliz, percebeu que nem banho havia tomado e ainda estava com o vestido da noite passada, resolveu tomar um belo de um banho, não demorou muito, já que não gostava de gastar água, em pensar que um dia ela poderia acabar e era de sua responsabilidade contribuir para que isso não acontecesse, Carol decidiu lavar o vestido para devolver a sua professora que foi muito gentil emprestando-o e lhe proporcionando uma agradável noite que à muito tempo não tinha.
Débora acordou mais tarde do que  geralmente acordava, até porque era sábado, poderia aproveitar para dormir além da conta, ainda na cama mas já acordada Débora se vê mergulhada em seus pensamentos "linda, bem humorada, inteligente, e um corpo Magnífico... e triste, o que será que desaponta aquela menina tão doce?? tenho que parar com isso, Débora ACORDA!  você não precisa de mais problemas já basta Juliana"- Débora logo se levantou da cama, o dia iria ser longo e de muito trabalho.
-hum, primeiro arrumar a casa né Débora e depois do almoço começar os trabalhinhos..
Sim, Débora falava sozinha as vezes. Fez uma comida bem leve, comeu enquanto assistia televisão..
- Tv final de semana não tem um programa que preste..
Reclamava  enquanto mudava de canal até desligar a TV depois de tanto procurar e nada encontrar. De repente, lá estava ela novamente.
"Tão doce mas tão provocante...gente e aqueles seios? Tentador! A doçura? Encantador.  Tentadora e encantadora essa garota, será que é hétero? se fosse, eu poderia proporcionar novas experiências, literalmente, em todos os sentidos, com maior prazer, muito, muito prazer"
-Eitaaaa Débora, bora trabalhar! - Disse ela enquanto se levantava levando o prato e o copo para pia...arrumou toda a mesa, colocou o notebook , caderno, folhas e tudo mais o que era necessário para começar o seu trabalho. A professora logo se focou em sua atividade, que nem viu o tempo passar, quando foi interrompida com a companhia tocando, não imaginava quem era já que não tinha marcado nada com ninguém e achava uma falta de educação visitarem sua casa sem ao menos telefonar.
-Oie! - falou Caroline ao ver a reação de Débora.
-Eu sei que você deve estar ocupada mas vim lhe devolver o vestido e agradecer pelo passeio.
-Oie - disse Débora enquanto pegava o vestido com um ar totalmente alegre e feliz.
-Imagina, entra! E não precisa agradecer coisa nenhuma, pois me diverti muito também.
Carol deu um lindo sorriso .
- Trabalhando muito?
- Sim, mas já estou quase terminando.
- Ah claro, bom então já vou indo, só vim mesmo para te entregar o vestido .
- bem cheiroso por sinal.
- é que eu lavei!
- Que educada! Quer tomar sorvete?
- Não quero atrapalhar..
- Se eu estou convidando é porque você não atrapalha, certo?
- Acho que sim, é, Certo, então vou aceitar..
Débora serviu as duas que se sentaram a mesa.
-hum, que delícia!
-Hurrum, adoro sorvete de morango..
-Eu também...
-É... Ontem você me disse Se ao invés de te desenhar como....você sabe. Por que você acha que fui eu quem fez aquele desenho?
-Eu não acho, eu sei!
-Sabe? -perguntou ela um tanto quanto assustada.
-Sim, não precisa se apavorar...não vou te dar uma advertência por mais que mereça
-É... Desculpa, foi sem querer.
-Sem querer? Desenha alguém sem querer? é possível isso?! acho que não né.
-Como descobriu?
-Já arrumou inimizades na escola sabia..
-Sério? Alguém pegou o desenho do meu caderno e quando vi, já estava ali jogado no chão para quem quisesse ver
-urrum, acontece, mas você desenha muito bem. Está de parabéns e somente te perdoo se me desenhar sem chifres.
As duas riram e trocaram olhares que logo se desviaram meio sem jeito.
-Obrigada Débora, a senhora está sendo muito gentil!
-Senhora? Está me chamando de velha ?
-Não, perdão! É que achei ...que..
-Que eu gostasse? Se enganou porque eu odeio.
-desculpe, e entendo até porque você ainda é muito nova
-Nem tanto..
-Quantos anos você tem? Uns vinte e sete, oito?
Débora deu uma sorriso
- muito obrigada mas não, errou feio..
- Quantos então?
- Sabia que perguntar a idade de alguém é falta de educação?
- Então não vai me dizer mesmo?
- um dia eu te conto, e você quantos anos têm?
- Quantos me dá?
- Dezesseis,Dezessete?
- Hum
- Acertei?
- Um dia eu te conto!
Débora riu e achou muito engraçadinho isso.
- O sorvete estava uma delícia mas preciso ir.
- Claro, já esta tarde e preciso terminar o resto do planejamento
-Planejamento? e as respostas da prova, não quer me passar?
-Engraçada você senhorita.
Débora acompanhou Carol até a porta e ao se despedirem, deram um beijo no rosto ..aliás.. Foram dois, depois de fechar a porta Débora suspirou só de sentir o cheiro que havia vindo de Carol.
-Acorda Débora!!!
voltou ao trabalho e só finalizou na parte da noite, logo após decidiu arrumar a sala que estava uma bagunça, suas fotos espalhadas, copo na mesinha, livros jogados pelo chão acompanhados de roupas, sapatos e maquiagem, organizou tudo deixando por último as fotos que a fez querer revê-las, passou uma por uma.
"Quanta saudades" pensou, "mas onde está a minha foto?" Débora procurou por toda a casa, ficou procurando mas nada de encontrar , era a única foto que tinha dela mesma, não poderia ter perdido, ela Tinha certeza que estava ali, "espera... CAROLINE" Débora lembrou que viu Carol mexendo em suas fotografias
-será? Não é possível-  Disse  pensativa.

3 comentários: