12.2.16

Será que é amor? Capítulo 4


E agora? a professora não tinha nem mesmo o número do telefone da menina, o jeito seria esperar amanhecer e encontra- lá na escola, tentou dormir mas não conseguiu, o pouco que dormiu foi o suficiente para deixar suas olheiras a mostra. Já de pé para trabalhar, se arrumou como de costume porém hoje, estaria ela mais preocupada do que nunca mas sempre com o mesmo semblante  calmo e sereno.Na escola, Débora seguiu para a sala dos professores, alguns relatórios deveriam ser feitos para entregar a diretora no mesmo dia, ela não estava nem na metade e sabia que iria ter problemas se continuasse assim. O sinal tocou e Débora não esperava o momento em que teria uma oportunidade para conversar com Caroline, afinal aconteceu muitas coisas na noite passada que no mínimo deveriam ser discutidas além da sua preocupação se a menina teria chegado bem em casa.
Caroline, já na escola subiu rapidamente para sua sala, como de costume deitou a cabeça sobre a mesa, mas dessa vez não era o desânimo que a perseguia e sim seus próprios pensamentos, "Será que aquela é namorada dela? Uma namorada rejeitada,muito rejeitada, pra ela me chamar de mais uma  e falar daquele jeito, e aquela foto? Será que ela é modelo? Fotografa mulheres nuas e depois fica com elas ? com todas?! Ou será tudo um mal entendido ? será mesmo que ela gosta de mulher ?depois de tudo, obvio Carol, Obvio!" E durante as aulas Caroline não se desligou desses pensamentos, relembrando cada palavra que saiu da boca de Juliana na noite passada, até que o sinal toca: hora do intervalo.
Carol decidiu ler o livro que havia pego na biblioteca, não estava afim de sair da sala, quando ouve alguém a chamando...
-Caroline!
Na porta estava a professora Débora chamando-a, estava com um bilhete na mão, e sem dizer nenhuma palavra apenas a entrega.
-Precisamos conversar..
Carol apenas deu um sorriso de canto de boca e balançou a cabeça positivamente.
Logo sentou em sua cadeira e abriu o bilhete ..
"Quero falar com você ainda hoje, não darei aula a tarde mesmo assim passo as 6:00 hrs para lhe buscar, beijos!"
Carol ficou ansiosa para que o tempo passasse logo.
Aleluia! Aula acabou, Caroline desceuna esperança de encontrar a professora, e lá estava ela, dentro do seu carro, com óculos escuros, batom vermelho, camiseta branca, permitindo uma visão generosa dos seus seios, "Pronta pra matar" pensou Carol. Débora fora da sala de aula, era outra pessoa, usava e esbanjava da sua sensualidade, com looks provocantes onde sua sensualidade era algo nítido, ao mesmo tempo passava uma imagem séria e mas também um perigo a quem se atrevesse com ela mexer.
-vem, entra, pensei que não tinha me visto...
-É, demorei um pouquinho para te achar.
-Aonde quer ir ?
-Não sei, é você que quer falar comigo..
-Sim, sou eu, mas isso não te impede de escolher o lugar.
-Cinema! Adoro cinema.
-Então resolvido, vamos ao cinema!
No caminho, as duas ficaram em silêncio até que Caroline resolver quebrar o gelo.
-Ela era sua namorada?
-É, bom, eu sei que te devo uma explicação  então.. - Carol a interrompe.
-Não, você não precisa me dar nenhuma explicação, já me ajudou muito ontem e não me deve nada, eu é que te devo.
Débora abriu um lindo sorriso, encantador eu diria.
- obrigada, eu não vou te dizer agora porque é uma história complicada mas respondendo sua pergunta, não.. Ela não é, e nem foi minha namorada.
- Hurum - sorriu educadamente.
Ao chegarem no shopping trataram logo de descer.
-caramba, nem lembrei que estou de uniforme, ai que horror, eu não vou entrar assim !
-Você não está tão mal vestida vai..-disse Débora rindo da situação...
-Ah não, imagina, você esperta já sabia e veio assim..
-Assim como?
-Linda, aliás linda você já é, mas ficou mais linda, tipo bem linda, linda mesmo-falou Caroline já se atrapalhando com as palavras e ficando sem graça.
-Ah eu deixei você escolher, eu tenho algumas roupas no porta mala, quer ver se tem alguma do seu gosto?
-Aceito, se não achar  alguma iremos embora.
-Urrum, acha que eu gastei minha gasolina atoa?
Carol riu.
-hmm até que é bonita..
-Não é "até que é bonita" é linda viu senhorita.
-Vou vestir essa!
Carol escolheu um vestido preto,curto, próprio para festa, já dentro do carro tirou sua blusa, e a calça. Débora sabia que não podia virar o rosto, assim não desviou o olhar que estava voltado para frente, mas não resistiu e seus olhos desviaram para o canto vendo Caroline se contorcendo no banco da frente do carro tentando se vestir. "Ah Se tivesse dezoito, delícia,Ai ai ai" a esse ponto Débora já estava com os olhos grudados em carol que logo depois de vestida se virou para ela.
- gostou foi ?
- An?
- perguntei se gostou, não tirou os olhos de mim. Acha que eu não vi?
- An ? Claro que não ! Eu estava olhando...olhando... sua habilidade em vestir roupa, se contorcendo toda, só isso.- disse sem jeito.
Carol deu uma risada da resposta.
- Finge que me engana que eu finjo que acredito!
- Sério que você acha que eu me interessaria por uma criança ?
- Está me chamando de criança?
- Sim, é isso o que você é, estou errada?
- Claro que está, já passei dessa fase..
- Que seja, eu não me interessaria em alguém da sua idade.
- Porque não?
- Porque não! Curiosa você. Vamos antes que eu mude de ideia.
As duas saíram do carro e foram logo comprar os ingressos, era um filme de comédia, elas se acabaram de rir ..como já estava tarde não demoraram muito para irem embora, Débora deixou Caroline na porta de casa.
-Então é aqui que você mora?
-Exatamente.
-Hum! Você realmente não tem celular ?
-Não, se quiser me dar um, eu super aceito- Brincou ela.
- Se ao invés de me desenhar como uma diaba tivesse me desenhado como um anjo quem sabe eu te daria.
as duas riram juntas e Carol se despediu da professora com um beijo no rosto e logo entrou em sua casa, Débora não pôde não reparar em como o vestido havia ficado perfeito naquele corpo, e o desenho de suas costas eram ...Completamente tentadores -pensava ela enquanto apreciava.
Pela primeira vez depois de muito tempo Caroline estava se sentindo leve e feliz, teve um dia muito agradável, que a fez se trancar no quarto e jogar-se na cama, com um sorriso no rosto e vários pensamentos na mente, lembrou da foto que havia guardado na mochila, e lá estava, sua mais nova favorita professora, linda como nunca, aliás para Carol, Linda como sempre.. Ela não deixou de pensar naquela mulher até adormecer ...
                                Capítulo anterior          Capítulo seguinte

Nenhum comentário:

Postar um comentário